segunda-feira, 19 de março de 2018

Diferenças no Agachamento



Esse é outro artigo sobre um tema que rende muitas discussões, o Agachamento. 

Junto ao Instituto Fortius, adaptei dois artigos que tratam do tema seguindo a mesma vertente do que vem a seguir:

- Um artigo que está no Blog da Fortius chamado: Profundidade do Agachamento;

- E uma versão em pdf de um artigo que se chama: Variações do Quadril e o Agachamento.

Embora nada possamos fazer para modificar a estrutura anatômica é importante entender quais as diferenças e as implicações das mesmas no agachamento e em outros exercícios que programamos.


Aos que desejam ler no original em inglêsThe Real Reason Why People MUST Squat Differently

Boa leitura.



A Verdadeira Razão das Pessoas Agacharem de Diferentes Maneiras

Ryan Debell


Este artigo irá ajudar a mostrar:

→ Porque o conforto do executante deveria ditar o afastamento inicial dos pés na posição do agachamento;

→ Porque algumas pessoas (não todas) agacham com os pés para fora não importando o quanto de trabalho de mobilidade façam;

 Porque alguns têm tanta dificuldade em agachar profundo;

 Porque alguns são ótimos em "pistols" e outros não conseguem fazê-lo de jeito nenhum.
Agachamento "pistol"


 Resumindo, após ler o artigo saberá a resposta para a questão: Por que as pessoas devem agachar de maneiras diferentes?


Anatomia Básica

A articulação do quadril é basicamente feita de uma "soquete" na pelve, chamada acetábulo, e uma "bola" no topo do osso da coxa, que chamamos de cabeça do fêmur. Ao redor do quadril existem muitos músculos, uma cápsula articular e tecido conectivo. Existem muitas outras considerações anatômicas a serem feitas quando analisamos o agachamento, mas vamos nos focar no quadril.


Variações Anatômicas

Quando alguém tem dificuldades para agachar, os pés viram para fora e/ou assumem uma posição mais afastada, muitos querem entrar na onda de dizer "os quadris estão rígidos e precisam de mobilidade". Se dissermos isso sem considerar as variações anatômicas da articulação do quadril, podemos nos enganar.

Analisemos a primeira figura. Aqui temos 2 fêmures de duas pessoas diferentes. Um aponta mais para cima, o outro aponta mais para baixo. Você pensa que estas pessoas irão agachar da mesma maneira quando têm estas estruturas ósseas tão diferentes?
Dois fêmures diferentes. Um aponta para esquerda, o outro para cima. Você pensa que estas duas pessoas deveriam agachar da mesma maneira?



































(N.T: Um colo femoral mais vertical dificulta a capacidade de agachar profundo, embora facilite, em tese, movimentos laterais e rotacionais).

Se ainda não esta convencido, olhe a figura seguinte. Claramente uma das "bolas" na articulação de bola-e-soquete é mais estendida em um fêmur em relação ao outro (N.T: Refere-se ao colo femoral do fêmur do lado esquerdo). Isso irá modificar com certeza a mecânica do agachamento entre estas duas pessoas. Nenhum tratamento de tecidos moles irá mudar isso.  
O colo femoral à esquerda é claramente mais alongado que o da direita


































(N.T: Outro problema envolvendo o colo do fêmur é o seu diâmetro, quanto mais grosso for, maior a limitação de movimento que causará). 

Agora analisemos a figura abaixo. Como é diferente o ângulo para onde a cabeça do fêmur está apontando entre os 2 espécimes. Adivinhe. Uma destas pessoas irá ter um bloqueio ósseo quando tentar agachar com uma base estreita enquanto a outra irá agachar perfeitamente com uma base estreita. 

Por outro lado, um agachará com uma base aberta e o outro terá dor quando agachar com os pés afastados demais. Mas a diferença no tamanho da cabeça do fêmur não faz com que isso seja óbvio? Talvez a limitação não seja no piriforme afinal de contas.
Uma dessas pessoas jamais será capaz de agachar com uma base estreita, enquanto a outra será capaz de fazê-lo sem problemas. Consegue adivinhar qual é qual?






















(N.T: O espécime da direita está numa condição de anteversão excessiva no ângulo do colo femoral, o que, de acordo com o autor o favorece ao agachar com uma base estreita. O espécime da esquerda está em uma condição conhecida como retroversão. A figura adaptada de Neumann, 2011 ilustra a questão).


As coisas ficam ainda mais interessantes quando começamos a olhar para o soquete. Dê uma olhada na próxima figura. Na imagem da esquerda é possível enxergar o acetábulo. Esta pessoa provavelmente será capaz de agachar com uma base estreita, já a da direita (N.T: Onde o acetábulo não é visível em virtude de ter uma orientação lateral. Ao contrário da pelve à esquerda, onde o acetábulo é mais virado para frente) terá um contato ósseo precoce quando tentar fazer o mesmo. 
Pelves do mesmo tamanho, mas com enorme diferença no espaço articular


















(N.T: Aquele acetábulo que aponta mais para frente, ou mais "antevertido" irá facilitar o agachamento, ao passo que o acetábulo mais lateral, ou "retrovertido" irá dificultá-lo). 


Agora veja a figura seguinte. Novamente vemos a diferença no quanto podemos enxergar do acetábulo. Sem chance destas 2 pessoas agacharem da mesma maneira. A anatomia óssea literalmente não irá permitir (N.T: Já que os acetábulos dos dois espécimes apontam em direções diferentes, conferindo graus de mobilidade distintos em planos de movimento igualmente distintos).
Não é uma questão de "rigidez" ou de tecidos moles. Existe osso no caminho, literalmente. Nada que você possa fazer irá mudar a estrutura óssea















A próxima figura é uma visão lateral do acetábulo. Um está apontando reto para fora (N.T: O da direita) enquanto o outro está apontando para baixo e para frente. Meu palpite é que uma dessas pessoas será melhor no pistol, uma será pior.
(N.T: Como dito anteriormente, um acetábulo mais antevertido ou em outras palavras, o que aponta mais para frente, como o espécime da foto à esquerda, vai facilitar o agachamento. Então para a afirmação do autor, o que teoricamente melhor se daria em um pistol seria o da esquerda. O da direita por sua vez, poderia em tese ter mais facilidade em atividades que envolvessem a extensão do quadril, como a corrida).
Um quadril está apontando para frente, o outro aponta para fora, respectivamente
























Como Determinar a melhor Posição do Agachamento?

Em linhas gerais, duas pessoas não vão e não deveriam agachar da mesma maneira. Espero que o que discuti acima lance alguma luz no porquê. Basicamente, o conforto irá ditar a postura inicial no agachamento, aquela que coloca o quadril em uma melhor posição óssea. Existem pessoas que agacham com base estreita e os que agacham com base larga. 






Isso pode não ter coisa alguma a ver com músculos "encurtados" ou cápsula articular rígida, mas uma maior relação com a anatomia do quadril. 

Poucas pessoas usam na plenitude sua mobilidade do quadril, portanto, exercícios de mobilidade são definitivamente uma boa ideia.

As pessoas expressam sua mobilidade de quadril em diferentes planos, e isto não é algo ruim.

Um comentário:

  1. Excelente artigo, professor! Muito importante para o nosso trabalho, este conhecimento.Esclarecedor este artigo!

    ResponderExcluir